Uma crónica ao meu outro amor…

CARLOS “PAC” NOBRE. Um Outro Amor- diário de uma vida singular. Lisboa, Oficina do Livro, 2008

pac

Como uma fã que se preza da banda Da Weasel, alguém que idolatra todos os seus membros, as suas músicas e, em especial, a poesia do vocalista (Pacman), não podia deixar de ler o livro que reúne as melhores crónicas escritas pelo próprio para a revista semanal “Domingo” do jornal Correio da Manhã, intitulado Um Outro Amor, diário de uma vida singular. Veja-se aqui uma interessante crítica a este livro. 

Carlos Alberto Nobre Pereira Neves nasceu a 20 de Julho de 1975 em Angola, mas emigrou muito cedo com os pais, com destino à cidade de Almada.

 Em 1994, juntamente com o irmão mais velho, João Nobre, cria uma banda a que mais tarde chamam Da Weasel, nome não escolhido ao acaso, pois a doninha é um animal que incomoda e ninguém quer por perto. Carlos adopta a alcunha de “Pacman” devido ao facto de ser viciado nesse famoso jogo e João apelida-se de “Jay” como diminutivo. Na banda entram e saem membros, sendo actualmente composta por aqueles que são considerados os seis magníficos: Carlos Nobre (Pacman)- voz; Bruno Silva (Virgul)- voz; Pedro Quaresma (Quaresma)- guitarra; João Nobre (Jay)- baixo; Guilherme Silva (Guillaz)- bateria; Miguel Santos (Glue)- Dj.

 No entanto, Carlos destaca-se por estar incluído em vários projectos, tais como participações em álbuns de outros artistas, músicas a solo (como podemos ouvir na sua página pessoal do “MySpace”), escrevendo também poemas e textos soltos. Muitos destes últimos foram transformados em crónicas- daí a edição deste livro.

Porquê “Um Outro Amor”? Simplesmente porque Carlão, como é conhecido pelos amigos, é, para lá do que vemos nos concertos, na televisão e nas revistas, um Ser Humano. E, como qualquer um de nós, tem os seus próprios gostos. Gosta de escrever, gosta de música, gosta de televisão, gosta de cinema, gosta de futebol, gosta do S.L.B. E aqui acrescento a célebre frase: “Gostos não se discutem!”…

Aproveitando a conversa dos gostos, relembro que só comprei e li o livro por gostar do autor. Mas isso não me impede de deixar aqui uma sugestão de leitura, pois facilmente muitos de nós (e de vocês)  se revêem nos textos: desde a afirmação, que dá que pensar, “Às vezes custa estar sozinho. Mas custa mais ainda estar sozinho quando se anda acompanhado.”, na crónica “Cabeças Trocadas”, à história da rapariga que lhe deu uma lição de vida, com o nome de “(A Educação de) Rita”, passando pelo relato de momentos de alegria e de outros para esquecer…

                                                                                                            Sofia Almeida, 12º As1

                                                                                                                                                                                                                                                                                      Sofia

Anúncios

4 Respostas to “Uma crónica ao meu outro amor…”

  1. bibliotecafalves Says:

    É interessante a tua sugestão de ligação da crónica e da poesia com o mundo do espectáculo mais mediático. Prometo que vou espreitar um dia destes os poemas de “Pac” , metamorfoseados pela sonoridade “rap”.
    José Manuel Silva

  2. luh Says:

    Estás a ficar com jeitinho, amiga!!! Sempre tiveste jeito para escrever…
    E não fosse ela falar de alguém dos DW… loool… Mereces 19.9!!!
    Beijinhos… Gosto muito de ti !

  3. DWgirl Says:

    Como fã que sou, não deixei de comprar o livro, o GRANDE livro…
    Bem,apoio a tua sugestão de leitura, por o livro ser de uma leitura simples, irónica e com algum humor…É uma maneira de os fãs ficarem a saber o modo como o grande CARLÃO vê o mundo. É também um livro muito aconselhável para as pessoas que, embora não “curtam” a banda, gostem de um bom livro, onde irão deparar com muitas situações da sociedade…
    São muitas crónicas. De entre elas gostei muito de “(A Educação de) Rita”, por nos transmitir uma realidade que realmente passa por nós todos.. Há sempre alguém que parte, para outro país, para outra cidade.. ou até morre.. e nunca chegamos a dizer o quanto gostávamos dessa pessoa…
    Bem, adorei o teu texto..
    Eu também já apresentei o meu à turma.. e por acaso correu bem, eles mostraram interesse, o que tornou bastante fácil…
    Olha, amiga, apesar de nos conhecermos há pouco tempo, adoro-te por aquilo que conheço de ti, adoro a tua escrita, e a maneira como o encaras…
    Perto ou longe de mim, estás cá dentro.
    Nunca deixes de escrever, e um dia que escrevas o teu próprio livro, terei muito prazer em o comprar, como tive em comprar esta grande obra do Carlão.
    Beijinho.

  4. João Says:

    Muito interessante mesmo, e apelativo, porque agora já sei o que vou ler nos próximos dias. A maneira como abordaste o livro parece tão apaixonante e dedicada que, sem dúdiva, vou ler! Beijo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: